RVK007 – O Poder da Imaginação! Não custa nada tentar e é de graça

0

“A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro.”

(Albert Einstein)

Hoje no Runas abordaremos um assunto que infelizmente vejo alguns papas da vida adulta chamarem de besteira, mundo da lua, demência entre outros substantivos pejorativos: A imaginação. Segundo alguns dicionários, ela é a faculdade que possui o espírito de representar imagens, ou cria-las a partir da combinação de ideias.

Eu mesmo, sempre fui uma criança muito maluca em relação às demais. Na verdade eu ainda sou considerado bem maluco (basta ouvir nossos casts). Certa vez brinquei uma tarde inteira com um caixote e fio de cobre, enrolado em forma de mola, que pra mim eram respectivamente um jet-ski e seu motor. Também, não foram poucas as vezes que após uma noite bem dormida e um sonho bom, o mesmo foi continuado na vida “real” quer seja como um super herói ou um soldado do exército, inclusive eu tive até uma namorada aos oito anos de idade de nome Scarlet que também foi transportada de um sonho.

Banner da Liga da Justiça contra o vilão Darkseid na arte de Jim Lee: agora em desenho.

“Passamos o primeiro ano da vida de uma criança ensinando-a a andar e falar e o resto da vida dela ensinando-a a se calar e se sentar. Há alguma coisa errada.”

(Neil de Grasse Tyson)

Na adolescência não foi diferente, afinal a trilogia do “Senhor dos Anéis” tinha acabado de explodir. Em muitos momentos apenas meu corpo estava por aqui, já a minha mente estava na terra média faz tempo, lutando ao lado de homens, elfos, anões e hobbits contra as forças do mal que assolavam a Terceira Era. Embalado nesse romance fantástico fui apresentado ao RPG (Se você não sabe o que é, ouça o nosso cast especial “O RPG que Jogamos”). No decorrer dos anos representei vários personagens. De lordes a patifes e todos com uma dose especial de imaginação. Confesso a vocês em primeira mão que a minha loucura era tanta que eu carregava na mochila de jeans surrado, algo que pudesse me ajudar caso eu fosse transportado para um mundo de fantasia medieval.

Imagem do filme Senhor dos Anéis, Sociedade do Anel. Dirigido por Peter Jackson, distribuído por Warner Home Vídeo.

Depois de batalhas colossais contra todo tipo de bicho, vilões e aberrações da natureza, veio a vida adulta com suas faturas e boletos, carreiras frustradas e desilusões humanas. Desafios insuportáveis, se não fosse pela minha arma mais poderosa: a minha imaginação. Durante todo tempo eu escuto pessoas falando que eu vivo no “Fantástico Mundo de Cloves” apenas por acreditar e aspirar por dias melhores, ou simplesmente por não me chatear com provocações que nos são empurradas a todo tempo em uma mídia no mínimo tendenciosa. Algumas vezes recebo o mesmo estigma apenas por fantasiar estórias com meu filhão (Vide as Sagas de Átila que publico de tempos em tempos no facebook), onde o mesmo sempre pulveriza o mal da melhor forma que acha possível, ou seja, com amor e brutalidade.

Cloves Gregorio se achando o “Gandalf” com seu cachimbo depois de burro velho.

Graças aos Deuses sou bem sucedido em todas as frentes em que atuo, quer seja profissional, familiar ou recreativa. Tive uma infância feliz porque eu nunca sofri repreensão de meus pais e acredito que eles fizeram um bom trabalho, pois minha sede de imaginação não parou por aí, ela invadiu a minha adolescência e está viva até os dias de hoje. Pretendo passar esse bem mais precioso ao meu filhote também, acredito que todos deveriam na verdade, afinal você não tem nada a perder e o melhor, é de graça!

Share.

Deixe Seu Comentário